Clube Dores

Troque o salto por tênis, saibro e muitos benefícios

Publicada em 27 de março de 2017.

Anterior
Próxima

Segundo registros históricos, o tênis - modalidade de origem europeia - nasceu na metade do século XIX, época em que os reis ingleses começaram a jogar nos jardins de seus palácios. Logo, as esposas dos reis passaram a praticar o esporte, mas esse sempre foi praticado em sua maioria por homens. No Brasil, isso não ocorre por falta de incentivo, receio ou até mesmo por existirem outras culturas esportivas como o voleibol, mais fortes que o tênis no universo feminino.


O tênis é caracterizado como uma modalidade esportiva individual de bastante praticidade no que diz respeito à sua possibilidade de ação: com mais um amigo/parceiro já se pode jogar. É um esporte que acolhe todas as faixas etárias: alguns aprendem enquanto crianças e/ou adolescentes, outros na fase adulta, e muitas pessoas o elegem como o seu exercício físico habitual e o praticam ao longo da vida, afirmando o status de “esporte para a vida toda”.


Para quem é espectador e nunca experimentou, praticar parece muito simples e fácil: correr e rebater a bola.

No universo feminino, principalmente, quando se fala em praticar tênis, algumas mulheres pensam logo em falta de coordenação motora e nem sequer tentam aprender. Há sim uma complexidade no processo de aprendizado do esporte, que exige algumas capacidades físicas tais como velocidade, resistência, equilíbrio e agilidade. Entretanto, alguns métodos novos de ensino do tênis pautam-se exatamente no desenvolvimento da coordenação motora, que é a integração dessas capacidades, que, sem dúvidas, são treináveis. Isto é, existem sim muitas dificuldades iniciais, mas praticando e dedicando-se, o tenista aprenderá não só a jogar, mas também terá sua coordenação motora aperfeiçoada para inúmeras outras demandas físico-motoras.


Considerado um esporte completo por movimentar o corpo inteiro e exigir as capacidades físicas anteriormente mencionadas, o tênis é caracterizado como um exercício aeróbico (jogos de média a longa duração) e anaeróbico (corridas, tiros de velocidade, saltos), assim, os sistemas cardiorrespiratório e vascular são estimulados aumentando a capacidade cardíaca e pulmonar. Além disso, juntos, esses dois tipos de exercícios previnem ainda a perda de massa óssea, estimulam a queima de gordura e promovem o fortalecimento muscular, que são algumas das grandes preocupações das mulheres.
Esses benefícios físicos embora sejam objetivos diretos e exijam sacrifício e obrigação para muitas pessoas, acabam sendo adquiridos através do simples movimentar-se jogando. Mas o tênis tem algo peculiar que é desafiador e importantíssimo: o aspecto cognitivo. Por ser um esporte individual requer equilíbrio mental e acaba, muitas vezes, sendo uma via de mão dupla, pois as circunstâncias do jogo exigem concentração, atenção, raciocínio rápido. Em contrapartida, muitas pessoas jogam para combater o estresse, relaxar a mente, esquecer os problemas, e conquistam autocontrole e prazer ao longo da prática – através da produção de endorfina durante o exercício.


Para além da saúde física e mental, um grande atrativo do tênis feminino e que é necessidade de toda a mulher é a socialização: adversárias tornam-se amigas, amigas de amigas tornam-se parceiras de jogos, aulas em grupo e torneios amadores promovem integração. Assim, para além da necessidade de se exercitar; de quebra, há a oportunidade de convivência e de integração. Muitas mulheres fidelizam o tênis como seu hábito exatamente por ter tantos benefícios reunidos em sua essa essência.


Foi pensando nesse público que em janeiro de 2014 - através do Projeto Dores Verão – formou-se a primeira turma feminina no tênis Dorense. Foram ministradas aulas em grupo durante um mês para cerca de dez mulheres através de um método dinâmico e moderno de iniciação ao esporte. Foi um sucesso. Essa mesma turma continua e outra foi formada em março do ano passado. Os benefícios do tênis para as mulheres dorenses são notáveis não só nos semblantes das alunas, como também no relato de algumas delas com o passar do tempo. Na primeira turma, a integração foi tanta, que a amizade estendeu-se para além das aulas e torneios: a turma se reúne todas as quartas-feiras valorizando o lado social.


Apesar de muitas mulheres terem receio de não possuírem capacidade suficiente para aprender a jogar tênis, reitera-se: todas são capazes e os métodos atuais para o processo de ensino-aprendizagem existem para isso, fazer com que as pessoas joguem desde o primeiro dia de aula. O tênis é um esporte completo, e acima de tudo, leva-nos ao autoconhecimento, tornando-nos pessoas melhores inclusive nas situações do dia a dia.


Por Juliana Appel Mortari
Professora de Educação Física

Clube Dores
© 2014 CLUBE DORES   |   Todos os direitos reservados
Site produzido pela Netface